English
Notícias

O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) é responsável pela operação da única fonte de luz síncrotron da América Latina, que permite a execução de experimentos em diversas técnicas de análise microscópica da matéria usando radiação infravermelha, ultravioleta e raios X. Confira abaixo as principais notícias do LNLS.

11 de Julho de 2020

Cristais de proteínas de SARS-CoV-2 foram primeiras amostras analisadas

A nova fonte de luz síncrotron brasileira, Sirius, do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), realizou os primeiros experimentos em uma de suas linhas de luz nesta semana. A primeira estação de pesquisa a entrar em funcionamento, ainda em estágio de comissionamento, é capaz de revelar detalhes da estrutura de moléculas biológicas, como proteínas virais. Esses primeiros experimentos fazem parte de um esforço do CNPEM para disponibilizar uma ferramenta de ponta à comunidade científica brasileira dedicada a pesquisas com SARS-CoV-2.

11 de Julho de 2020

LNLS abre chamada de propostas para usuários de cristalografia que desejam analisar amostras relacionadas à COVID-19

Com satisfação informamos que o Sirius alcançou mais um marco em seu comissionamento. Nos últimos dias, foram realizados os primeiros experimentos na linha de luz MANACÁ. Os testes iniciais reproduziram dados estruturais já estabelecidos na literatura, incluindo a proteína 3CL do SARS-CoV-2, indicando que a linha de luz, ainda em fase de comissionamento científico, já está em condições para gerar dados confiáveis.

18 de Março de 2020

Ações visam reduzir aglomeração de pessoas e o deslocamento de seus colaboradores

Diante do aumento de casos de COVID-19 no território nacional e das medidas recomendadas pelas autoridades públicas da área de Saúde, o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) adotou ações para contribuir com a redução da taxa de propagação do vírus. A partir de 18 de março, o Centro suspende a circulação de visitantes e pesquisadores externos em suas instalações, os eventos institucionais internos e externos, assim como as viagens de seus colaboradores.

19 de Fevereiro de 2020

Em 19 de fevereiro de 1990, o LNLS inaugurava o LINAC da primeira fonte de luz síncrotron do Hemisfério Sul

Assim começava um comunicado para a imprensa que divulgava a cerimônia prevista para 19 de fevereiro, comemorativa da conclusão da primeira etapa de implantação do LNLS. O objetivo do que ocorreria naquele dia era afirmar junto à sociedade, em especial à comunidade científica, que a equipe de jovens entusiastas, reunida a partir de final de 1986, já reunia competência para desenvolver, construir e vir a operar a primeira fonte de luz síncrotron do hemisfério sul – objetivo central e motivador da criação do Laboratório.

14 de Janeiro de 2020

Harry Westfahl Jr. ocupava a diretoria científica do LNLS desde 2013, e coordena o projeto e construção das estações experimentais do Sirius

O novo diretor do Laboratório Nacional e Luz Síncrotron (LNLS), Harry Westfahl Jr., tomou posse do cargo nesta segunda-feira (13) em cerimônia realizada no Centro Nacional de Pesquisa em Energia (CNPEM) em Campinas, SP. Harry atua no CNPEM desde 2001, e há sete anos ocupava o cargo de diretor científico do LNLS. Harry Westfahl sucede o físico francês Yves Petroff, um dos maiores especialistas em luz síncrotron do mundo.

7 de Janeiro de 2020

Tinha a capacidade de unir entusiasmo, criatividade, conhecimento técnico e científico

Faleceu em Campinas, dia 3, o engenheiro e físico Ricardo Rodrigues (Antonio Ricardo Droher Rodrigues), líder da equipe de engenharia que desenvolveu e está finalizando a construção dos aceleradores do Sirius, a segunda fonte de luz síncrotron do Brasil, atualmente em fase de testes no Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM).

19 de Dezembro de 2019

Dois dias depois de armazenar elétrons no acelerador principal do Sirius, a equipe do CNPEM realizou as primeiras análises com raios-x gerados pelo novo acelerador de elétrons brasileiro

Dois dias depois de armazenar elétrons no acelerador principal do Sirius, a equipe do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) realizou as primeiras análises com raios X gerados pelo novo acelerador de elétrons brasileiro. Neste primeiro teste simples, realizado a uma potência inferior a 13 mil vezes projetada para a máquina, foi possível observar a chegada da luz síncrotron pela primeira vez em uma das futuras estações experimentais do Sirius. Este é mais um grande marco para o projeto, e uma vitória para a ciência e tecnologia do Brasil.

17 de Dezembro de 2019

Nova fonte de luz síncrotron brasileira continua sua trajetória de testes bem-sucedidos

No último sábado, dia 14 de dezembro, a equipe do CNPEM conseguiu, pela primeira vez, armazenar por várias horas elétrons no acelerador principal do Sirius. Manter essas partículas circulando por longos períodos de tempo é condição essencial para se alcançar a produção de luz síncrotron de qualidade, e acontece poucas semanas após ter sido alcançada a primeira volta de elétrons no acelerador principal.

25 de Novembro de 2019

Trata-se de uma das etapas mais importantes do projeto, que é a maior iniciativa científica já realizada no País

O projeto Sirius acaba de completar uma de suas mais importantes etapas: o primeiro giro de elétrons no seu acelerador principal. Nessa grande estrutura, com 518 metros de circunferência, elétrons acelerados a altas energias, até uma velocidade próxima à da luz, produzem uma luz de altíssimo brilho, utilizada em experimentos científicos que poderão revolucionar o conhecimento nas áreas de saúde, energia, materiais e muito mais.

4 de Novembro de 2019

Fonte de luz síncrotron de quarta geração deve ser aberta para pesquisadores no ano que vem

No dia 16 de outubro foi concluída mais uma importante etapa deste que é o maior e mais complexo projeto da ciência brasileira. A equipe responsável pela instalação do Sirius alcançou a energia de operação de 3 GeV (Giga-elétronvolts) no segundo dos três aceleradores de elétrons que compõem a nova fonte.