English

COMPUTAÇÃO CIENTÍFICA

VOLTAR

CONTATO


Líder: Eduardo Xavier Silva Miqueles

Telefone: +55 19 3510 1043

E-mail: eduardo.miqueles@lnls.br

O Grupo de Computação Cientifica (GCC) é um grupo de apoio ao Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) em processamento de alto desempenho. Atualmente o foco do grupo está na manipulação, tratamento, restauração e reconstrução de imagens geradas nas linhas de luz da atual fonte de luz sincrotron, UVX.

Entre os objetivos do GCC estão (i) o desenvolvimento de algoritmos inovadores que sejam capazes de competir e/ou superar outros existentes; (ii) a implementação desses algoritmos em plataformas de alto desempenho, essencialmente baseadas em GPU; e (iii) a integração desses algoritmos com dados reais provenientes das linhas de luz.

EQUIPE

Nome Cargo
Alan Zanoni PeixinhoEspecialista
Eduardo Xavier Silva MiquelesPesquisador(a), Líder
Fernando Seiti FurusatoEspecialista
Gilberto Martinez JuniorAnalista de Desenvolvimento Tecnológico
Giovanni Lenzi BaraldiAnalista de Desenvolvimento Tecnológico
Matheus Fernandes SarmentoAnalista de Desenvolvimento Tecnológico
Patricio Guerrero PradoPesquisador(a)
Thiago Vallin SpinaPesquisador(a)

PROCESSAMENTO DE IMAGENS


O processamento de imagens refere-se especificamente a:

  1. Reconstrução de imagens a partir de projeções;
  2. Segmentação de imagens a partir de reconstruções;
  3. Extração de informações a partir das segmentações e/ou reconstruções.

As classes (1) e (2) contém um conjunto finito de sub-operações específicas em processamento de imagens, que contribuem para o melhor desempenho da análise de dados gerados no LNLS. Normalmente, (2) é uma consequência de (1), porém não exclusiva; sendo (3) um dos principais objetivos de um processo de imageamento experimental. Entende-se que a extração de informações a partir de dados gerados nas linhas de luz é crucial para o sucesso da instalação.

O ciclo de operações fundamentais de uma linha de luz, integrado à computação científica e dentro da topologia da rede especificada ao Laboratório Nacional é apresentado abaixo:

Atualmente, as operações seguem o fluxograma $\rm A \rightarrow C$ com o posterior processamento sendo executado por $\rm C \rightarrow D$, sendo (A) uma linha de luz fixa, porém arbitrária. Para a nova fonte de luz síncrotron Sirius, o foco em alto desempenho é idealizado nas operações $\rm A \rightarrow B \rightarrow C$, com alto desempenho de processamento local em (B), dentro da linha de luz. Demais processamentos serão feitos dentro do pipeline $\rm C \leftrightarrow D$. As conexões da topologia de rede são projetadas a 100 Gb/s de modo a acelerar o acesso e a vazão dos dados medidos.