Laboratório Nacional
de Luz Síncrotron

English

Ciência

Curativo nanotecnológico para ferimentos crônicos

VOLTAR

Pesquisa desenvolve novo material para liberação controlada de óxido nítrico


A cura de um ferimento cutâneo segue um processo bastante complexo. Uma variedade de condições, incluindo doenças como o diabetes, pode fazer com que algum dos muitos fatores envolvidos na cicatrização não funcione corretamente. Dessa forma, o tecido não é capaz de se regenerar e o ferimento se torna uma condição crônica.

Ferimentos crônicos podem levar meses ou anos para finalmente se curarem – e podem até mesmo nunca se curar. Isso traz não só estresse físico e emocional para os pacientes. Ferimentos crônicos são também um problema financeiro para os sistemas de saúde como um todo.

Já se sabe que a aplicação de óxido nítrico (NO) em ferimentos crônicos traz resultados benéficos e representa uma estratégia promissora para o tratamento dessa condição. No entanto, é preciso desenvolver novos materiais capazes não só de fornecer óxido nítrico  à lesão, como também de fornecer apenas a quantidade adequada para o tratamento.

Por isso, Matilde Champeau e colaboradores [1] desenvolveram uma nova plataforma para a aplicação tópica de óxido nítrico. A estratégia é baseada no uso de um hidrogel supramolecular de poli(ácido acrílico) contendo micelas nanométricas de um outro polímero e S-nitrosoglutationa como doador de NO.

O material desenvolvido pelo grupo é capaz de liberar óxido nítrico em ferimentos, de forma controlada pela proporção entre os componentes do hidrogel, e disparada pela absorção de água contida na secreção produzida pela própria cicatrização.

A plataforma foi testada in vivo em laboratório, onde demonstrou aumentar a regeneração de tecidos, a organização de fibras de colágeno, e a expressão de genes relacionados à multiplicação celular no tecido em cicatrização. Esses resultados mostram potencial para uma nova forma de acelerar a cura de ferimentos em geral e de aprimorar o tratamento de ferimentos crônicos.

Os pesquisadores utilizaram as instalações da linha de luz SAXS1 do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) para caracterizar a estrutura supramolecular do hidrogel em diversas fases de sua produção.

Fonte: [1] Mathilde Champeau, Valéria Póvoa, Lucas Militão, Flávia M. Cabrini, Guilherme F. Picheth, Florian Meneau, Carlos P. Jara, Eliana P. de Araujo, Marcelo G.de Oliveira. Supramolecular poly(acrylic acid)/F127 hydrogel with hydration-controlled nitric oxide release for enhancing wound healing. Acta Biomaterialia 74 (2018) 312–325. DOI: 10.1016/j.actbio.2018.05.025