English
Ciência

Com instalações abertas, o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) recebe anualmente cerca de 1200 pesquisadores brasileiros e estrangeiros, comprometidos com mais de 400 estudos que resultam em aproximadamente 200 artigos publicados em periódicos científicos. Confira abaixo algumas das inúmeras pesquisas que se beneficiaram das instalações do LNLS.

16 de Outubro de 2015

Pesquisa investiga as propriedades de gorduras extraídas de óleo de girassol como substitutas das gorduras trans em produtos alimentícios industrializados

A ingestão de lipídios, os óleos e gorduras, fornece ingredientes essenciais para nosso metabolismo. No entanto, a preocupação com os diversos problemas cardiovasculares causados pelo consumo em excesso de colesterol e gorduras saturadas provenientes de alimentos de origem animal, estimulou o desenvolvimento de fontes alternativas de lipídios.

1º de Setembro de 2015

Pesquisa investiga ligação entre toxinas presentes na peçonha e substâncias encontradas em plantas

Em comunidades tradicionais e indígenas, preparados de plantas são usadas para o tratamento de diversas enfermidades e descobertos através dos anos por tentativa e erro, ou, na prática, por sobrevivência e morte. Os compostos ativos ali presentes têm despertado o interesse da comunidade médica e científica, especialmente para o tratamento de moléstias negligenciadas das regiões tropicais, incluindo picadas de serpentes, cuja mortalidade é superior à de doenças como dengue, cólera e doença de Chagas.

5 de Agosto de 2015

Pesquisa investiga as propriedades óticas de grafeno disposto em substratos de nitreto de boro e de dióxido de silício

Grafeno – uma fina membrana formada por camadas de carbono de um ou dois átomos de espessura – é considerado um dos futuros tijolos da nanotecnologia. Ganhando tremenda atenção nos últimos anos, grafeno e combinações de materiais baseados em grafeno, tais como grafeno/nitreto de boro encontram potenciais aplicações em ótica e aparelhos opto-eletrônicos. Para projetar novos aparelhos óticos, é preciso entender como a matéria interage com o seu próprio ambiente, especialmente com o material em que o grafeno é depositado.