English

Ciência

VOLTAR

Com instalações abertas, o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) recebe anualmente cerca de 1200 pesquisadores brasileiros e estrangeiros, comprometidos com mais de 400 estudos que resultam em aproximadamente 200 artigos publicados em periódicos científicos. Confira abaixo algumas das inúmeras pesquisas que se beneficiaram das instalações do LNLS.


31 de Julho de 2020

Acelerando o futuro dos dispositivos optoeletrônicos

Pesquisa explora a dualidade onda-partícula para acelerar a luz em um cristal bidimensional usando substratos funcionais

O entendimento da luz e de sua interação com os mais diversos tipos de materiais foi, no século passado, uma importante via para descobertas científicas. Um exemplo proeminente é o efeito fotoelétrico: a emissão de elétrons por materiais quando sujeitos a incidência de luz em determinados comprimentos de onda. Teorias ondulatórias já explicavam o comportamento da luz em muitos fenômenos ópticos, mas não eram capazes de explicar as caracterisiticas do efeito fotoelétrico. A explicação para este fenômeno, como proposta por Einstein, exigia que a energia associada à luz pudesse assumir apenas valores bem definidos, ditos discretos ou quantizados, ou seja, a luz deveria ter também propriedades normalmente associadas a partículas.

LEIA MAIS

30 de Junho de 2020

Novo grupo de enzimas pode beneficiar diversas áreas, de saúde a biocombustíveis

Pesquisa revela novos mecanismos e estratégias para romper polissacarídeos vegetais e gerar subprodutos de interesse

Os polissacarídeos são moléculas onipresentes na natureza servindo como barreira natural para as plantas, fonte de energia para algas e compõem a parede celular de fungos. A desconstrução ou modificação desses polissacarídeos tem grande interesse industrial como na indústria têxtil e de papel, assim como para a geração de biocombustíveis e intermediários químicos renováveis. Atualmente, a utilização desses polissacarídeos em subprodutos de interesse industrial exige o uso de reagentes químicos que geram impactos ambientais ou é realizada por enzimas industriais ainda pouco eficientes.

LEIA MAIS

28 de Maio de 2020

Formas de vida de bilhões de anos atrás são reveladas com uso de raios X

Pesquisadores obtiveram detalhes sem precedentes da forma, composição e preservação desses microfósseis

Por décadas, os cientistas vêm usando fósseis de microorganismos para entender melhor a origem e evolução da vida na Terra, mas esse ramo da paleobiologia deu um grande salto com o desenvolvimento de novas técnicas de produção de imagem. Historicamente, o estudo dos primeiros vestígios de vida na Terra tem sido cercado por muita controvérsia e desafios técnicos. Às vezes é até difícil dizer se uma estrutura é realmente um fóssil ou... apenas um artefato.

Esses desafios estão relacionados às características desses microfósseis: têm apenas alguns micrômetros de tamanho (dez vezes menor que a espessura de um cabelo humano). Além disso, as rochas antigas sofreram algum grau de alteração geológica devido à pressão e temperatura exercidas pelas camadas de rocha acima delas. Portanto, os componentes originais dessas pequenas células foram "cozidos" a temperaturas superiores a 100°C, substituídos por minerais e prensados ​​por centenas de milhões a bilhões de anos, antes de acabar nas mãos dos cientistas.

LEIA MAIS

12 de Março de 2020

A Supercapacidade dos Supercapacitores

Pesquisa investiga novos materiais à base de nióbio para o aprimoramento do armazenamento de energia elétrica

A busca por fontes limpas e renováveis de energia tem se intensificado nos últimos anos, devido ao contínuo aumento da concentração na atmosfera de gases causadores do efeito estufa, como o gás carbônico. Desta busca também faz parte o desenvolvimento de novos sistemas para armazenar e fornecer energia para aplicações diversas, desde carros e ônibus elétricos até eletrônicos portáteis. Assim, dispositivos como baterias de lítio, baterias de fluxo e supercapacitores são estudados para atenderem a essas novas demandas.

Supercapacitores são uma classe de dispositivos de armazenamento de energia que combina as propriedades de baterias (alta capacidade de armazenamento) com as de capacitores (ultra-rápido carregamento e fornecimento de energia), tolerando um grande número de ciclos de carga e descarga. No entanto, este tipo de dispositivo apresenta ainda diversos inconvenientes: a capacidade de armazenamento de energia é ainda menor que a de baterias convencionais; a curva de descarga de tensão observada pode impedir o uso de toda a energia armazenada; e, em alguns casos, uma auto-descarga excessiva é verificada.

LEIA MAIS

4 de Fevereiro de 2020

Em direção ao desenvolvimento de novos antibióticos

Pesquisa contribui para o desenho de antibióticos e compostos anticâncer mais eficazes

A resistência aos antibióticos é um grave problema para a saúde pública. Bactérias resistentes a medicamentos estão aumentando, e o número de antibióticos disponíveis para combatê-las não é suficiente. As infecções por bactérias resistentes são um problema especialmente sério para pessoas com sistema imunológico comprometido, como pacientes com câncer e AIDS. Há também um enorme ônus financeiro para os pacientes devido à necessidade de antibióticos mais caros que geralmente têm efeitos colaterais mais graves. Assim, cientistas e médicos estão interessados ​​em encontrar novos antibióticos, novos alvos e novos modos de ação para reduzir as emergentes bactérias resistentes a medicamentos.

Nas células, uma enzima chamada protease ClpP é responsável pela remoção de proteínas danificadas e malformadas, degradando-as em fragmentos menores. Essa função é essencial para manter a homeostase proteica, na qual as proteínas são continuamente produzidas e removidas no ato da limpeza celular, e isso, por sua vez, sustenta a vida da célula. No entanto, essa enzima também é essencial em muitas bactérias patogênicas, porque sua função está ligada à sua capacidade de espalhar infecções. Portanto, a protease ClpP é um dos interessantes novos alvos para a descoberta de medicamentos antibióticos.

LEIA MAIS

8 de Janeiro de 2020

Nanotecnologia contra a resistência bacteriana

Pesquisa investiga o uso de nanopartículas para o transporte de fármacos até o alvo

As bactérias resistentes a antibióticos são um dos problemas de saúde pública mais alarmantes, causando aproximadamente 700.000 vítimas fatais a cada ano. O surgimento de novas bactérias resistentes e a falta de medicamentos eficazes são alguns dos desafios deste complexo cenário médico. Se nada for feito, estima-se que este número aumente para cerca de 10 milhões de mortes até 2050.

A administração de múltiplos ciclos de antibióticos estimula o surgimento de bactérias resistentes, e patógenos com resistência a múltiplas drogas obrigam os pacientes a prolongadas internações hospitalares, aumentando também os custos associados ao tratamento.

LEIA MAIS

19 de Dezembro de 2019

Em busca de células fotovoltaicas mais eficientes

Pesquisa apresenta mapeamento de composição química de materiais na nanoscala para a produção de energia solar

A busca por fontes de energia limpas e renováveis tem se intensificado nos últimos anos. Entre elas está, por exemplo, a conversão da luz solar em eletricidade através de células fotovoltaicas, combinadas em módulos popularmente conhecidos como painéis solares. De forma simplificada, a luz solar incidente neste tipo de dispositivo é absorvida pelos elétrons do material. Os elétrons são expelidos dos átomos ou moléculas a que estavam associados, formando a corrente elétrica que será utilizada para o carregamento de uma bateria ou para o funcionamento de alguma máquina elétrica.

Atualmente, o silício ($\rm Si$), um material abundante na crosta terrestre, é a base da imensa maioria de painéis solares instalados. No entanto, apesar da contínua redução nos custos de produção dos painéis, o silício apresenta baixa eficiência na transformação da energia solar. Essa eficiência depende de propriedades intrínsecas dos materiais utilizados na confecção das células fotovoltaicas e aumenta ano a ano com a descoberta de novos e melhores materiais.

LEIA MAIS

11 de Dezembro de 2019

Fábricas Galácticas de Compostos Orgânicos

Pesquisa investiga a fragmentação de moléculas complexas nos arredores de Núcleos Ativos de Galáxias

Uma galáxia é um sistema gravitacionalmente coeso, formado por estrelas, gases – principalmente hidrogênio e hélio – e, em menor quantidade, os outros elementos químicos mais pesados. Estima-se que o universo visível abrigue trilhões de galáxias e que cada galáxia contenha desde algumas centenas de milhões ($\rm 10^8$) a cem trilhões ($\rm 10^{14}$) de estrelas. A galáxia onde estamos localizados é chamada de Via Láctea e nosso Sol orbita o centro galáctico a uma distância de 27 mil anos-luz (um ano-luz é a distância que a luz percorre em um ano, aproximadamente 10 trilhões de quilômetros).

Evidências observacionais sugerem que o centro de quase todas as grandes galáxias, inclusive a Via Láctea, é constituído por buracos negros supermassivos, com massas de milhões ou até bilhões de vezes maiores que a do nosso Sol. Uma porção dessas galáxias, em especial, apresenta luminosidade em algumas faixas do espectro eletromagnético – desde as ondas de rádio até raios gama – incompatível com o que seria produzido apenas por suas estrelas. Elas possuem o que é chamado de um núcleo galáctico ativo (AGN, na sigla em inglês). Esses núcleos ativos estão entre as maiores fontes de energia do universo.

LEIA MAIS

19 de Novembro de 2019

Em busca do uso seguro de nanomateriais

Pesquisa traz análises toxicológicas inéditas de nanopartículas multifuncionais

Nanopartículas, aglomerados de átomos de tamanho tipicamente entre 1 e 100 nanômetros, têm sido investigadas nas mais diversas áreas do conhecimento. As propriedades dessas minúsculas partículas podem ser controladas através de sua composição, tamanho e formato. Dessa forma, elas são adaptáveis a todo tipo de aplicação. Em especial, nanomateriais de múltiplas funções, como por exemplo, que combinam propriedades ópticas e magnéticas, são uma promessa em uma variedade de aplicações biotecnológicas, como tratamentos de câncer, diagnóstico, rastreamento, marcação e análise quantitativa de DNA, separação bioquímica e sensores e separadores de poluentes, entre outras.

LEIA MAIS

21 de Outubro de 2019

Produção de aços por impressão 3-D

Pesquisa investiga efeito da manufatura aditiva sobre materiais para indústria aeroespacial

Os veículos aeroespaciais – aviões, helicópteros, foguetes, espaçonaves, satélites e outros - são sujeitos a condições extremas de temperatura, pressão e carregamento mecânico durante sua operação. Dessa forma, os materiais e métodos de fabricação usados na indústria aeroespacial estão em constante evolução, sempre buscando o aumento da confiabilidade e a redução de peso sem sacrificar a performance mecânica.

Uma classe de materiais importante para a indústria aeroespacial é a dos aços Maraging. Eles apresentam alta resistência mecânica, e são usados em componentes como, por exemplo, trens de pouso em aviões ou helicópteros e até mesmo carenagem de foguetes, que são submetidos a altas cargas mecânicas e ciclos de fadiga.

A manufatura aditiva – popularmente conhecida como impressão 3-D – revitalizou a fabricação de componentes com formatos antes considerados desafiantes, ou mesmo impossíveis, e aumentou o potencial de uso de diferentes materiais de engenharia. No entanto, apesar da estrutura e composição química de determinado material ser conhecida, o produto obtido no processo de manufatura aditiva é fundamentalmente diferente do obtido pelos processos de manufatura convencional, como fundição ou soldagem.

LEIA MAIS