English
Atualizações do Sirius

25 de Março de 2022

Nova etapa de comissionamento da estação experimental Imbuia permite uso de técnicas avançadas de espectroscopia no infravermelho em micro e nano escalas

A estação experimental Imbuia recebeu hoje o seu primeiro feixe de luz síncrotron após ser conectada aos aceleradores de elétrons do Sirius, no CNPEM. Com isso, se torna a única infraestrutura de pesquisa do mundo a se beneficiar de radiação infravermelha gerada a partir de um acelerador síncrotron de quarta geração, na fronteira deste tipo de tecnologia. A linha de luz foi projetada para a realização de experimentos que permitem analisar a composição química de praticamente qualquer material e fazer pesquisa de fronteira em novos materiais, com especial ênfase em materiais orgânicos, tanto biológicos como sintéticos. Por meio de técnicas de espectroscopia, ela permitirá explorar propriedades inclusive de materiais compostos de poucas camadas atômicas.

11 de Fevereiro de 2022

Estação da linha de luz CARNAÚBA possui detectores para as técnicas simultâneas de fluorescência de raios X, difração de raios X, luminescência ótica excitada por raios X e pticografia de raios X, e está operando, durante a fase de comissionamento, de 6.4 keV até 14 keV

CARNAÚBA é a linha de luz mais longa do Sirius, a nova fonte de luz síncrotron do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Devido aos quase 145 metros de distância entre a fonte de luz e o ambiente de amostra, é possível produzir uma alta demagnificação óptica e atingir resoluções espaciais na ordem dos nanômetros.

1º de Dezembro de 2021

Primeiros experimentos de imageamento 3D no Sirius foram realizados por nanotomografia pticográfica

Pesquisadores da linha de luz CATERETÊ obtiveram as primeiras medidas de imagens 2D e 3D do Sirius, a nova fonte de luz síncrotron brasileira do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

A linha de luz CATERETÊ é dedicada a experimentos de espalhamento coerente e resolvido no tempo. Experimentos como imagem difrativa de raios X coerentes (CXDI) e espectroscopia de correlação de fótons de raios X (XPCS) estão no centro das atividades da linha de luz, bem como espalhamento de raios X a baixo ângulo resolvido no tempo (SAXS).

18 de Outubro de 2021

Este chamado de propostas pretende fornecer tempo de feixe para os usuários durante o período de comissionamento das linhas de luz

O projeto Sirius atingiu outro marco no comissionamento de seus aceleradores e linhas de luz. Cinco novas linhas de luz estão entrando no estágio de comissionamento científico, completando o número de seis linhas de luz disponíveis para a comunidade de usuários. Além das linhas de luz, inauguramos oficialmente também dois laboratórios de apoio e o centro de computação científica. Essas instalações foram inauguradas oficialmente durante uma cerimônia no dia 8 de outubro.

21 de Julho de 2021

Artigo, que faz parte da edição especial do Journal of Molecular Biology, revela detalhes inéditos do processo de maturação da principal protease do vírus Sars-CoV-2

Acaba de ser publicado o primeiro estudo com dados coletados por pesquisadores usuários do Sirius, a fonte de luz síncrotron de última geração do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social do MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações). O trabalho, publicado em uma edição especial do Journal of Molecular Biology revela detalhes do processo de maturação da principal protease do vírus SARS-CoV-2.

19 de Julho de 2021

Além da linha de luz MANACÁ, que já se encontra em comissionamento científico, CATERETÊ e CARNAÚBA estão passando também do comissionamento técnico para o científico e devem em breve receber os primeiros usuários nessa fase

A operação da fonte de luz síncrotron Sirius no primeiro semestre de 2021 dividiu os recursos humanos e tempo útil dos aceleradores entre estudos de máquina, instalações de componentes das estações de pesquisa, e o fornecimento de feixe para experimentos de comissionamento técnico e científico das linhas de luz.

19 de Julho de 2021

No primeiro semestre de 2021 foi dada maior ênfase na melhoria da estabilidade do feixe, na operação em mais alta corrente, bem como na otimização do sistema injetor

A operação da fonte de luz síncrotron Sirius no primeiro semestre de 2021 dividiu os recursos humanos e tempo útil dos aceleradores entre estudos de máquina, instalações de componentes das estações de pesquisa, e o fornecimento de feixe para experimentos de comissionamento técnico e científico das linhas de luz.

20 de Outubro de 2020

LNLS abre chamada de propostas em qualquer área de pesquisa para experimentos de cristalografia de macromoléculas

Sirius continua avançando em seu comissionamento. Nos últimos meses, foram realizados os primeiros experimentos na linha de luz MANACÁ por pesquisadores externos dedicados a estudar os mecanismos moleculares relacionados à ação do vírus SARS-CoV-2.

Continuando a fase de comissionamento científico desta linha de luz, pesquisadores de outras áreas de pesquisa são convidados a submeterem suas propostas para utilizar a linha de luz MANACÁ, que permite o estudo da estrutura tridimensional de proteínas e enzimas humanas e de patógenos, com resolução atômica.

4 de Setembro de 2020

Proteína pouco entendida do vírus SARS-Cov-2 é um dos alvos do estudo da equipe da USP na nova fonte de luz

Em resposta à pandemia, o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), antecipou a abertura da primeira estação de pesquisa do Sirius para apoiar pesquisas relacionadas à Covid-19. Pesquisadores do Instituto de Física de São Carlos, da USP, foram os primeiros usuários da maior e mais complexa infraestrutura científica do País.

11 de Julho de 2020

Cristais de proteínas de SARS-CoV-2 foram primeiras amostras analisadas

A nova fonte de luz síncrotron brasileira, Sirius, do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), realizou os primeiros experimentos em uma de suas linhas de luz nesta semana. A primeira estação de pesquisa a entrar em funcionamento, ainda em estágio de comissionamento, é capaz de revelar detalhes da estrutura de moléculas biológicas, como proteínas virais. Esses primeiros experimentos fazem parte de um esforço do CNPEM para disponibilizar uma ferramenta de ponta à comunidade científica brasileira dedicada a pesquisas com SARS-CoV-2.