Laboratório Nacional
de Luz Síncrotron

English

Projeto e Construção

VOLTAR

Em 1987 foi iniciado o projeto de construção da primeira grande infraestrutura científica brasileira, planejada para funcionar em um laboratório multiusuário e aberto à comunidade científica, o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron, LNLS. O desafio foi encampado em meio a um contexto político turbulento e economia hiperinflacionária, o que exigiu de seus precursores certo heroísmo e muita persistência.

Entre 87 e 97, o LNLS desenvolveu a tecnologia para construção do primeiro acelerador de elétrons do tipo síncrotron do Hemisfério Sul, e ainda a única infraestrutura do tipo em toda a América Latina. O planejamento e a construção de uma máquina de extrema complexidade exigiu a contratação e o treinamento de pesquisadores, engenheiros e técnicos, muitos dos quais seguem trabalhando neste campus. Este conhecimento acumulado ao longo dos anos, por meio das pessoas que aqui trabalharam é, até hoje, o maior patrimônio do LNLS.

Grande parte dos componentes que compõem o acelerador de elétrons do LNLS, precisou ser fabricado internamente, o que garantiu que a atual fonte de luz síncrotron fosse construída com um índice de nacionalização de 85%. Mais um desafio foi a capacitação e treinamento de pesquisadores para uso da luz síncrotron. O esforço do LNLS permitiu alavancar a comunidade de usuários da nossa fonte de luz de dezenas para mais 6500 pesquisadores.

Nossa trajetória repleta de desafios permite que, passados 30 anos de seu início, o LNLS siga sua vocação pioneira com a construção do Sirius. A nova fonte de luz síncrotron Sirius será a mais brilhante em todo o mundo, e terá em seu núcleo um acelerador de elétrons de última geração. É um projeto pioneiro neste tipo de tecnologia, que trará inúmeros benefícios para a ciência brasileira.

 

 

< CONCEPÇÃO: DE 1980 A 1984 INAUGURAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO: DE 1997 A 2008 >

LINHA DO TEMPO

1987 

A implantação do LNLS é iniciada em uma casa alugada na Rua Girassol, no bairro Santa Cândida, em Campinas. Nesta primeira sede começam as contratações de alguns físicos, engenheiros e técnicos.

1987 

O CNPq adquire galpão na Rua Lauro Vannucci, bairro Santa Cândida, que passou a abrigar a equipe do LNLS a partir de julho.

1988 

Ocorrem os testes do primeiro canhão de elétrons, equipamento responsável pela emissão dos elétrons que são posteriormente acelerados

1988 

Vista da oficina mecânica e escritórios, no Jardim Santa Cândida

1988 

Maquete da primeira proposta de campus para o LNLS.

1989 

O projeto original da Fonte de Luz Síncrotron é revisto por dificuldades financeiras e técnicas: o Booster é removido e a energia de operação do anel de armazenamento é reduzida de 2 para 1,15 GeV (giga elétron volts). A imagem mostra o projeto já concluído.

1989 

Em dezembro é concluída a construção de uma parte importante da máquina: o acelerador linear, ou linac, em uma versão com energia de 50 MeV, que emite o primeiro feixe de elétrons

1990 

Em 19 de fevereiro ocorre a cerimônia de apresentação do acelerador linear, que marca a conclusão da primeira etapa da implantação do LNLS

1990 

Equipe do LNLS durante a cerimônia de assentamento da Pedra Fundamental do futuro campus do LNLS, em uma área de 380 mil metros quadrados localizada no Polo de Alta Tecnologia de Campinas. A área foi cedida pelo Estado de São Paulo.

1990 

Em 19 de dezembro é feita a primeira foto aérea do campus do LNLS, já com área terraplanada para construção dos prédios

1990 

Em dezembro, antes mesmo da construção da máquina, acontece a primeira Reunião Anual de Usuários do LNLS – então denominada “workshop”. O objetivo era discutir as características e prioridades das futuras linhas de luz que seriam implantadas no síncrotron. Na reunião, são apresentados os projetos preliminares das linhas de luz e estações experimentais.

1991 

Montagem de um corte de 1/12 do Anel de Armazenamento de Elétrons e de uma Linha de Luz

1991 

Funcionários do LNLS apresentam o Linac (acelerador linear) ao Painel Internacional de Avaliação do Projeto

1991 

Início da construção da fábrica de Ímãs, o primeiro prédio do campus do LNLS

1992 

É concluída a montagem da primeira linha de luz síncrotron, para radiação na região do ultravioleta, a Linha de Luz TGM. A TGM é instalada no Center for Advanced Microstructures and Devices (CAMD), na Universidade da Louisiana (EUA). Na foto, Cylon Gonçalves da Silva, Antonio Rubens Britto de Castro, Eize Morikawa, José Geraldo Pacheco e Paulo de Tarso.

1992 

Vista aérea parcial do campus, com o prédio da fábrica de ímãs já pronto

1992 

Turma de estudantes que participaram da primeira edição do Projeto Bolsas de Verão: Jorge Jovicich, Bernado Affonso Ferreria, Germano Pinto Guedes e Daniela Zanchet

1993 

Construção da fase subterrânea do Prédio que abrigaria a Fonte de Luz Síncrotron UVX. O túnel mostrado na foto abriga o canhão de elétrons e o Linac, acelerador linear onde os elétrons começam a ser acelerados.

1993 

Vista aérea do campus do LNLS, em que podem ser vistos o prédio de fabricação de ímãs e a oficina mecânica. Nestes prédios seriam fabricados os componentes da futura fonte de luz.

1993 

Linha de montagem dos ímãs dipolos do Anel de Armazenamento da futura Fonte de Luz Síncrotron UVX. Todos os ímãs e grande parte dos demais componentes do acelerador foram fabricados internamente, pela própria equipe do LNLS.

1994 

Em 18 de agosto, o prédio da Fonte de Luz Síncrotron começava a ganhar forma.

1995 

Em outubro, a construção do Prédio do Anel é concluída e a equipe do LNLS começa a se transferir para o local para o início da instalação do sincrotron.

1995 

Em novembro acontece a primeira Reunião Anual de Usuários realizada no campus definitivo. Nessa reunião, é anunciado que graças à alta qualidade dos magnetos produzidos pela equipe do LNLS, a energia dos elétrons seria elevada de 1,15 GeV para 1,37 GeV, aumentando o fluxo da radiação síncrotron produzida.

1996 

Em maio acontece a primeira volta de elétrons no anel de armazenamento e no segundo semestre as primeiras linhas de luz começam a ser instaladas. Em outubro, é observada pela primeira vez a luz síncrotron em uma das Linhas de Luz.


HISTÓRIA

1987

A implantação do LNLS é iniciada em uma casa alugada na Rua Girassol, no bairro Santa Cândida, em Campinas. Nesta primeira sede começam as contratações de alguns físicos, engenheiros e técnicos.

O CNPq adquire galpão na Rua Lauro Vannucci, bairro Santa Cândida, que passou a abrigar a equipe do LNLS a partir de julho.

1988

Ocorrem os testes do primeiro canhão de elétrons, equipamento responsável pela emissão dos elétrons que são posteriormente acelerados

Vista da oficina mecânica e escritórios, no Jardim Santa Cândida

Maquete da primeira proposta de campus para o LNLS.

1989

O projeto original da Fonte de Luz Síncrotron é revisto por dificuldades financeiras e técnicas: o Booster é removido e a energia de operação do anel de armazenamento é reduzida de 2 para 1,15 GeV (giga elétron volts). A imagem mostra o projeto já concluído.

Em dezembro é concluída a construção de uma parte importante da máquina: o acelerador linear, ou linac, em uma versão com energia de 50 MeV, que emite o primeiro feixe de elétrons

1990

Em 19 de fevereiro ocorre a cerimônia de apresentação do acelerador linear, que marca a conclusão da primeira etapa da implantação do LNLS

Equipe do LNLS durante a cerimônia de assentamento da Pedra Fundamental do futuro campus do LNLS, em uma área de 380 mil metros quadrados localizada no Polo de Alta Tecnologia de Campinas. A área foi cedida pelo Estado de São Paulo.

Em 19 de dezembro é feita a primeira foto aérea do campus do LNLS, já com área terraplanada para construção dos prédios

Em dezembro, antes mesmo da construção da máquina, acontece a primeira Reunião Anual de Usuários do LNLS – então denominada “workshop”. O objetivo era discutir as características e prioridades das futuras linhas de luz que seriam implantadas no síncrotron. Na reunião, são apresentados os projetos preliminares das linhas de luz e estações experimentais.

1991

Montagem de um corte de 1/12 do Anel de Armazenamento de Elétrons e de uma Linha de Luz

Funcionários do LNLS apresentam o Linac (acelerador linear) ao Painel Internacional de Avaliação do Projeto

Início da construção da fábrica de Ímãs, o primeiro prédio do campus do LNLS

1992

É concluída a montagem da primeira linha de luz síncrotron, para radiação na região do ultravioleta, a Linha de Luz TGM. A TGM é instalada no Center for Advanced Microstructures and Devices (CAMD), na Universidade da Louisiana (EUA). Na foto, Cylon Gonçalves da Silva, Antonio Rubens Britto de Castro, Eize Morikawa, José Geraldo Pacheco e Paulo de Tarso.

Vista aérea parcial do campus, com o prédio da fábrica de ímãs já pronto

Turma de estudantes que participaram da primeira edição do Projeto Bolsas de Verão: Jorge Jovicich, Bernado Affonso Ferreria, Germano Pinto Guedes e Daniela Zanchet

1993

Construção da fase subterrânea do Prédio que abrigaria a Fonte de Luz Síncrotron UVX. O túnel mostrado na foto abriga o canhão de elétrons e o Linac, acelerador linear onde os elétrons começam a ser acelerados.

Vista aérea do campus do LNLS, em que podem ser vistos o prédio de fabricação de ímãs e a oficina mecânica. Nestes prédios seriam fabricados os componentes da futura fonte de luz.

Linha de montagem dos ímãs dipolos do Anel de Armazenamento da futura Fonte de Luz Síncrotron UVX. Todos os ímãs e grande parte dos demais componentes do acelerador foram fabricados internamente, pela própria equipe do LNLS.

1994

Em 18 de agosto, o prédio da Fonte de Luz Síncrotron começava a ganhar forma.

1995

Em outubro, a construção do Prédio do Anel é concluída e a equipe do LNLS começa a se transferir para o local para o início da instalação do sincrotron.

Em novembro acontece a primeira Reunião Anual de Usuários realizada no campus definitivo. Nessa reunião, é anunciado que graças à alta qualidade dos magnetos produzidos pela equipe do LNLS, a energia dos elétrons seria elevada de 1,15 GeV para 1,37 GeV, aumentando o fluxo da radiação síncrotron produzida.

1996

Em maio acontece a primeira volta de elétrons no anel de armazenamento e no segundo semestre as primeiras linhas de luz começam a ser instaladas. Em outubro, é observada pela primeira vez a luz síncrotron em uma das Linhas de Luz.